Vídeo de Modo Autônomo da Tesla

A Tesla lançou recentemente um vídeo demonstrando o modo de direção totalmente autônoma, com acompanhamento em tempo real do modo como o computador “visualiza” objetos reais como carros, pedestres e objetos por exemplo. Pode-se ver que o sistema não é totalmente perfeito; vê-se que ele para inadequadamente por causa de pedestres correndo ao lado direito (aprox. 1:30 min) porém não é difícil se surpreender com o fato de que o sistema é capaz de se virar sem a interferência do motorista em diversas situações difíceis como emergir ao tráfego, ou parar para entrar em ruas a direita e a esquerda.

 

 

Atualização do Autopilot Punirá Motoristas Desatentos

autopilot
Nova atualização mira na segurança

A nova atualização do sistema semi-autônomo da Tesla, o Autopilot virá com uma função que punirá motoristas desatentos, chamada “procedimento de aborto” segundo a Eletrek, um blog dedicado a temas de sobre mobilidade e eletricidade.

Segundo o site, o procedimento funciona da seguinte forma: se o motorista não obedece a instrução de colocar a mão no volante após 15 segundos, o sistema entra em ação, redizindo o volume do rádio do carro e reduzindo consideravelmente a velocidade do carro até que o piloto volte a colocar as mãos no volante. Após isso, o Autopilot só poderá ser acionado novamente uma vez que o carro estiver parado e colocado em modo de estacionamento (park). É um modo de penalizar quem usa o sistema de forma perigosa e irresponsável e também pode salvar vidas caso o motorista esteja incapacitado de dirigir enquanto o Autopilot estiver ligado. O modo autônomo da Mercedes Benz classe E também tem uma função bem parecida que faz o carro parar e ligar o pisca alerta.

Outras atualizações incluem melhorias e possibilidade de guiar o carro em saidas de estradas, usando apenas através das luzes de direcionamento (setas). Isso é possivel graças a melhorias em seus dispositivos de mapeamento. Não ha data definida para que a atualização esteja disponível.

Fonte: Autoblog
I
magem: Cnn

Visão da Nissan Sobre Futuro das Estradas

Um vídeo muito legal foi postado pela Nissan, divulgando o seu elétrico Leaf na N-329, uma estrada holandesa que passa pela cidade de Oss. Uma parte da N-329 é bem conhecida por ter sua iluminação feita por uma tinta especial ultravioleta que é carregada durante o dia e brilha, emana uma luz verde azulada a noite. O leaf também tem a mesma pintura e tanto a energia do Nissan Leaf, quanto a energia da iluminação da estrada são ecológicas, ou seja, são limpas. A sensação futurística é bem forte e pode dar uma ideia do que poderá ser o futuro das nossas estradas.

A comparação é inevitável para quem já assistiu Tron: no filme, no mundo de tron é repleto de luzes parecidas com as da estrada N-329, no filme as luzes brilhantes ainda aparecem quando seus personagens usam um tipo de transporte como motos, carros e até aeronaves.

BMW: O Primeiro Elétrico

Muito se engana quem ensa que o I3 foi o primeiro elétrico fabricado pela marca alemã BMW. O “avô” do i3 se chama 1602e e foi estrela dos jogos olímpicos da Alemanha em 1972. Possui um motor elétrico Bosch que era conectado a nada menos do que 12 baterias 12V que juntas pesavam cerca de 350 kg. Sua autonomia era modesta, poderia percorrer 60 km com uma única carga. Os números não são tão atraentes hoje, mas imagina isso na década de 70…

Calendário: Formula E

formula-e-championship-logo_100430116_l

Confira abaixo a tabela com as datas dos E-pixes da Fórmula E:

AONDE QUANDO
Round 1 Pequim, China 13/set/2014
Round 2 Putrajaya, Malásia 22/nov/2014
Round 3 Punta Del Este, Uruguai 13/dez/2014
Round 4 Buenos Aires, Argentina 10/jan/2015
Round 5 Miami, Estados Unidos 14/mar/2015
Round 6 Long Beach, Estados Unidos 04/abr/2015
Round 7 Monte Carlo, Mônaco 09/mai/2015
Round 8 Berlin, Alemanha 30/mai/2015
Round 9 Londres, Inglaterra 27/jun/2015

Foto: Motor Authority

Você vendo a Formula E em Punta Del Este

punta_track_anim
E-Prix Punta del Este

A Formula E é um campeonato com um novo conceito. Trazido da necessidade de poluir menos, é o primeiro campeonato em que os monopostos não emitem nenhum tipo de poluente. Com base nessa tendência ecológica, seus Grand Prixes (chamado pela categoria de E-Prix) são realizados todos em um mesmo dia, em circuitos de rua. E o circo da Formula E passará pertinho do Brasil, aqui na América do sul, na cidade uruguaiana de Punta Del Este e também a argentina Buenos Aires!

E se você é um dos que querem ver esse campeonato de perto, saiba que existem pacotes turísticos que incluem o roteiro do E-prix de Punta del Este e já estão disponíveis! O pacote já inclui o aéreo de São Paulo a Punta, 3 noites de hospedagem com café, além do ingresso para o espetáculo! Os treinos, qualificação e a corrida acontece dia 13 de Dezembro, circuito será montado próximo a Playa Brava.

Para mais informações, consulte seu agente de viagens ou entre em contato!

Dia Mundial sem Carro?

O que muitos ativistas acham do carro neste dia
O que muitos ativistas acham do carro neste dia

O que me leva a escrever sobre carros no dia mundial sem carro são as pessoas que justamente ODEIAM os carros. Isso porque quem odeia fervorosamente o carro, faz de tudo para mudar os conceitos desse dia, deixando-o com razões tão bobas e egoístas quanto os próprios carros que eles tanto lutam contra. Ao longo deste post, você poderá perceber a diferença.

Hoje é comemorado o dia mundial sem carro. Uma data bem importante, levando em consideração a reflexão que devemos ter com relação ao uso cotidiano do automóvel. Este é um dos primeiros posts que levanta o assunto da mobilidade a tona (temos outro falando do minhocão). Afinal, o carro foi feito para que nos leve de um ponto A a um ponto B. A razão primária do carro existir é a mobilidade das pessoas, cargas. A exploração dessa razão que é criticada, colocada em prova neste dia: qual é a sua necessidade, até que ponto você fica dependente do automóvel? Você pode mudar isso? Como ver a questão da mobilidade, do uso de transportes urbanos, ou mesmos individuais que não poluem, como a bicicleta, ou carros e motos elétricas?

A Demonização do Automóvel:

O carro é visto como um verdadeiro demônico, e pessoas que o dirigem como pessoas egoístas e totalmente despreocupadas com o meio ambiente. Vêem ainda o pobre do automóvel como o único culpado não só pela poluição massiva do nosso planeta bem como o culpado pelo estacionamento das vias nas grandes cidades. Não digo que os automóveis não poluam. Eles poluem, mas não sozinhos. Indústrias, aviões, desmatamento (e por consequência queimadas) também contribuem para a poluição atmosférica. Então, não adianta culpar apenas o carro pelo que poluímos.
Isso sem contar o fato de cidades grandes como São Paulo, aonde vivo sofrer diariamente com o trânsito ruim. Novamente, menciono que a culpa é do automóvel, é afinal, o carro parado que pára as vias. Mas ao acusá-lo de parar a cidade, não pensamos que não houveram políticas públicas, investimentos governamentais para o estímulo ao transporte de pessoas em massa, como o metrô, o ônibus, por um bom tempo. O resultado é que pessoas como eu que moram longe, assim que podem, compram um carro. Porque? Nenhum ser humano merece ter que aguentar o péssimo e caro serviço de transporte público que a prefeitura e o estado ofertam para nós. Com um pouco de exceção do metrô, que faz milagres para não parar no horário de pico, os ônibus e trens são demorados, lentos, ruins de andar, quando não sucateados, velhos e principalmente superlotados (vou parar por aqui porque isso já dá manga para outro post, tamanhas criticas que eu tenho). Basicamente, compra-se carros para usar na cidade porque o transporte público é um lixo e o cidadão prefere pagar um conforto a mais. Novamente,o carro não é culpado sozinho; ele vem como o resultado de todo um padrão de comportamento.

Pessoas PRECISAM do carro:
Ok, nem todas as pessoas precisam. Mas algumas, sim. Pessoas idosas, mulheres gestantes. Eles tem preferência no transporte público, mas com um transporte público sem qualidade, esse é um outro nicho que se refugia no carro. Se eu, no alto dos meus 26 anos, mal consigo me segurar no ônibus que o motorista “super atencioso” faz questão de fazer manobras bruscas, passar em sinal vermelho, quem dirá uma pessoa com mais de 60 anos, ou uma pessoa sensível como uma gestante? Meu avô é assim, meu sogro e meu pai; ambos tem mais de 60 anos, o transporte público é gratuito para os 3 e eles mesmo assim, preferem o carro. A preferência é natural por aquilo que seja melhor, se você pode pagar.
Isso sem contar as pessoas que moram muito longe. Eu digo por experiencia própria. Mairiporã é longe 50 km do centro de São Paulo e é aonde eu vivo. Para você sair da cidade, para ir ao Tietê, São Paulo você paga uma tarifa de R$ 4 e alguns quebrados, digamos R$ 4,50 deve ser um pouco mais. Isso só pra chegar, são mais R$ 3,00 pra que você possa ir de metrô ou em um outro ônibus municipal. Se utilizarmos apenas um transporte Mairiporã/São Paulo e um metro por exemplo, brincando gasta-se R$ 7,50 pra ir, e outros R$ 7,50 pra voltar, na soma dá R$ 15,00 reais só pra você vir e voltar por pessoa. Sozinho, com R$ 5,00 a mais eu vou e volto confortável em um carro 1.0, com trânsito. Brincando um pouco mais, já que o carro comporta mais de uma pessoa, 2 pessoas, rachamos a gasolina pagando R$ 10,00 cada, vamos sossegado, pagando menos que no transporte público. Praticamente vai e volta na hora que bem entender, sem tomar chuva ou frio, sentado, sem depender de horário, isso com o carro. Na moto, a diferença é mais brutal. Sim, pessoas que moram longe, em outras cidades e que não tem infra estrutura para transporte público vai optar pelo carro, ou moto.

Pessoas GOSTAM dos carros:
Me considero uma pessoa preocupada com a mobilidade em São Paulo, e pessoas como eu são também pessoas apaixonadas pelo ronco do motor, pelo óleo e pelo cheiro de gasolina. E nós não deixaremos de andar de carro. Não deixaremos de usar um motor mais “beberão” porque ele polui mais. Não deixaremos o setor automobilístico apenas porque estou poluindo ou ocupando espaço. A frase que mais vejo em blos pró-ciclistas quando a disputa de espaços é o de que a rua foi feita para as pessoas. Mas ela também foi feita para os automóveis.

A questão aqui não é exterminar o carro, como fazem comparando o carro ao ridículo que é o cigarro. Mas usá-lo de forma consciente e tolerante. As pessoas (principalmente ciclistas) que querem acabar com a cultura do carro são tão iguais as pessoas que querem frear o desenvolvimento de uma cultura pró-ciclistica, ou mesmo que querem frear um desenvolvimento de redes cicloviárias.

Eu sou ciclista, pedalo 2 as vezes 3 vezes por semana, 30 km de Itaquera até o centro de São Paulo para trabalhar. Pego sim a radial pela ciclovia, e pego vias sem ciclovia. Aplaudo de pé o fato da prefeitura finalmente desenvolver toda uma estrutura cicloviária para tentar desafogar o transporte público, afinal, é mais segurança para qualquer ciclista. Fico muito feliz dos ciclistas terem a sua vez. Quando dirijo, respeito os 1,5 metros de distância, sou favorável e exerço a preferência do ciclista e pedestre, em todas as conversões e interferências, ainda mesmo quando o ciclista está errado, quando anda na contra-mão, ou passa sinal vermelho por exemplo. Assim como eu também sou respeitado como ciclista e muitas vezes desrespeitado também. Já levei fechada, já levei “finas” de tudo quanto é jeito, carro, moto, onibus e caminhão. Sei na pele que a vida do ciclista não é fácil.

Mas dai a odiar os carros como principais causadores, ou como únicos causadores de todos os males da mobilidade, ai o cicloativismo tem muito o que aprender. É claro, nem todos os ciclistas querem destruir a industria automotiva, assim como nem todos os motoristas querem que as ciclovias desapareçam para poderem estacionar seus espaçosos e preciosos carros. As palavras chaves são consciência, tolerância e respeito. Não podemos ir ao extremo, algo muito exagerado é maléfico. Usemos os carros para o bem, afinal já existem carros e motos elétricas, motores potentes que poluem e bebem bem menos do que em décadas passadas.

Um pouco de paz nesse dia tão importante, por favor, afinal, a bronca não é pelo dia sem carro, mas o uso desse dia para insistir em raiva pelos carros, motoristas, pessoas que precisam usar o carro e mesmo de pessoas que gostam de usar o carro. Carro, se usado de maneira bem racional, não incomoda ninguém.

Fonte Foto: Megani Tensei Wiki