Carros de Dilma, Temer e Cunha


dilma-fiatCom tantas mudanças na politica do país, vale a pena lembrar quais carros que as principais figuras políticas chegaram a declarar em suas últimas eleições.

Dima Rousseff (PT):
A presidente afastada declarou na época da eleição que possuia um Fiat Tipo, modelo 1996 avaliado em R$ 30.642.

Michel Temer (PMDB):
O então presidente declarou possuir um Audi A3 2003 blindado, avaliado em R$ 282.000 e um Chevrolet Vectra Elite 2006 avaliado em R$ 50.000.

Eduardo Cunha (PMDB):
Da reportagem, o mais fã de carros: na lista declarou um Toyota Corolla 2007 (R$ 60.000), um Ford Edge 2012 (R$ 120.000), um Ford Fusion 2006 (R$ 60.000), e um belo Porche Cayenne (R$ 429.000) em nome da sua empresa, jesus.com.br

Quer saber de outros como Suplicy, Aécio ou o Alckmin? Confira na matéria completa do Estadão.

Anúncios

Editorial: Faróis Baixos

farol baixo e DLR
Farol Baixo ou DRL? Porque não os dois?

A lei que obriga o uso de fatos baixos está realmente dando muito o que falar no trade automotivo. Dentre as opiniões mais diversas, as mais frequentes são de críticas. Dentre as várias citadas, a da não especificação do DRL (Daytime Running Lights), e da suposta indústria de multas.

Longe ter a palavra final, ainda mais de ter a razão. Sei que há vários fatores que indicam a indústria da multa e muitos outros fatores que poderiam ser considerados para se aprovar a lei, que está longe de ser perfeita.

Porém consideremos: uma lei que está tramitando há anos no (congresso?), num país em que as coisas mal funcionam. Podemos considerar que é uma forma de tentar diminuir de uma forma eficaz e quase sem custo um mal que ninguém vê: o de ser visto no trânsito. Porque se pensarmos em dll em todos os carros, o custo para implantar seria muito alto para veículos que nem sequer a manutenção preventiva é feita.

Sabe-se e é até recomendável trafegar de faróis baixos ligados durante o dia para uma maior visibilidade. Então agora porque tornam obrigatório mediante multa, ficam criticando? Se aquele que tem um carro com DRL e acha o fim da picada ficar ligando seus faróis, poxa, porque não ter um pouco de paciência? É uma ordem natural, assim como Airbags, freios Abs que os DRL sejam cada vez mais frequentes, a ponto de serem obrigatórios.

Então porque não um pouco de convicção, de otimismo? De parar de reclamar por reclamar e começar a criticar com o intuito de melhorar? A lei a meu ponto é sim bem vinda, porém tem de ter um período de adaptação e sim tem de ser levado em consideração os DRL que foram feitos para o dia.

Fotos: Wikipedia (2)

Supra de 5 Segundos

Os caras não cansam: depois de uma “amostra” do supra de 6 segundos, eles conseguiram baixar esse feito pra 5 segundos, acredite se quiser:

Fonte: SpeedHunters

 

Supra de 6 segundos

supra
O Supra

Em Velozes e Furiosos o então policial Brian O´Conner (paul Walker) estava devendo um carro de 10 segundos para o “chefão” Toretto (Vin Diesel). E, ao longo do primeiro filme, muito tempo é dedicado no carro, um Toyota Supra que sai do nada a um dos carros mais marcantes da série, ícone e querido por muitos fãs até hoje. Para quem não está acostumado a medida, um carro de 10 segundo é a forma estadunidense de se falar em quanto tempo um carro consegue fazer um quarto de milha. Um carro de 10 segundo, por exemplo, consegue partir da imobilidade e fazer um quarto de milha (402 metros) em até 10 segundos.

Toretto e sua turma mal sabiam que, saindo da ficção, existe outro Supra deixaria qualquer carro deles no chinelo: o modelo que estamos falando faz o quarto de milha em 6,05 segundos, ou seja é um carro de quase 6 segundos! E com esse tempo, ele recentemente estabeleceu o record mundial do Supra mais rápido em um quarto de milha. O vídeo mostra mais ou menos a brutalidade do carro:

Nem o O´Conner conseguiria com esse supra
Nem o O´Conner conseguiria com esse Supra

Fonte: Jalopnik
Fonte fotos: Jalopnik, Pinterest

Eleições 2014: Quais são os Carros dos Presidenciáveis?

O Rolls Royce presidencial: todos querem andar nele
O Rolls Royce presidencial: todos querem andar nele

Ser presidente de um país com certeza muda o cotidiano de qualquer pessoa. A Dilma por exemplo, em uma tentativa de voltar a ser uma anônima deu uma escapada de moto que driblou até seus próprios seguranças. Se estava pilotando ou não , nunca saberemos. Fato é que antes de serem presidentes ou figuras públicas, eram pessoas normais. E como pessoas normais, adquirem ou não carros para se locomoverem. Abaixo a lista de carros que os presidenciáveis declararam ao Tribunal Superior Eleitoral terem como patrimônio:

Dilma:

Tipo ao custo de R$ 30 mil?
Tipo ao custo de R$ 30 mil?

Dilma possui registrado em seu nome um Fiat Tipo 1996 no valor de compra de R$ 30.642. Sua acessoria porém menciona que a Presidente roda apenas com os veículos oficiais por questões de segurança.

Aécio: 
Aécio possui apenas 1 veículo em seu nome, um Freelander 2012 avaliado em R$ 166.500. Além disso, o candidato também roda com a frota de seu partido, o PSDB.

Eduardo Campos:
O falecido candidato tinha como veículos cadastrados um Kia Serato e um Fiat 500 modelos 2012.

Marina:
Marina não possui nenhum veículo cadastrado em seu nome. Costuma dar incentivo a veículos não motorizados como bicicletas (prometeu isentar os impostos) e costuma chegar em seus compromissos políticos com táxis.

Pastor Everaldo:
O candidato Pastor Everaldo possui um Toyota Corolla avaliado em R$ 28.451.

Luciana Genro:
É uma das presidenciáveis que também não tem nenhum carro no seu nome. Diz locomover-se com o carro de seu marido e com veículos do seu partido Psol.

Eduardo Jorge:
Fã do metro e desenfor dos transportes públicos, o candidato Eduardo Jorge possui dois veículos no seu nome, Um citroën C3 2010 de R$ 39.200 e outro Honda Fit que custou R$ 30 mil.

Eymael quem possui mais carros
Eymael é o candidato que mais possui carros

Jose Maria Eymael:
Candidato com maior patrimônio, possui 4 veículos cadastrados em seu nome: um Fiat Tipo 1994 de R$ 12.160 (curiosamente igual ao da presidente Dilma); uma Chevrolet Blazer 1999 que custou R$ 56 mil; um Peugeot 406 Sw 2001 (modelo “perua”) de R$ 25.998 e um Mitsubishi Pajero Full 2013 de R$ 142.500. Diz tambem fazer uso de automóveis de seu partido, o PSDC.

Levy Fidelix:
Em seu cadastro no TSE possui apenas um veículo porem não menciona a marca. Apenas um Fiat preto 1.6, 4 portas comprado por R$ 15.752.

Mauro Iasi/ Zé Maria/ Rui Costa Pimenta:
Os 3 últimos candidados também não declararam nenhum veículo no TSE.

Fonte: UOL Carros

Fotos: Vrum, Priscilla Mendes/G1

Como Chegam os Importados no Brasil?

Por navio. Avião acaba triplicando o valor da importação, então essa opção é só para endinheirados. Além de já caros, os importados tem diferentes portos de entrada pelo Brasil, dependendo aonde a marca é mais forte e sua estratégia de distribuição: de acordo com a Car and Driver, a regra geral é usar o porto mais próximo de seus centros de logística ou de futuras instalações. Confira abaixo e no mapa onde cada fabricante encomenda seus importados:

  • Itapoá (SC): BMW e Mini.
  • Paranaguá (PR):  Volkswagen (sul, sudeste e centro oeste).
  • Rio de Janeiro (RJ): Chrysler, Dodge, Fiat. Jeep, Nissan, Peugeot e Citroën.
  • Rio Grande (RS): Chevrolet.
  • Salvador (BA): JAC.
  • Santos (SP): Fiat, Honda, Mercedes Benz, Mitsubishi, Suzuki, Ferrari, Masserati, Rolls Royce e Lamborghini.
  • Suape (PE): Volkswagen e Chevrolet (norte e nordeste).
  • Vitória (ES): Audi, Chery, Hyundai, Jaguar, Land Rover, Toyota, Lexus, Kia, Volvo e Porche.
  • Uruguaiana (RS): Toyota (Hilux e SW4).

carros_importados_brasil

Fonte: Car and Driver