Smile!

Um tweet que alegra o dia de qualquer um!

Anúncios

Calendário Formula 1 – 2015

f1 2015

Março já chegou e com ele, o final da pré temporada. Dia 15 de Março, estréia a Formula 1 2015 na Austrália, e nesse ano teremos 20 corridas, algumas delas vão ser bem especiais, como a da Alemanha e a estréia do Gp do México. Abaixo tabela relacionando as corridas, sua localização e data do GP:

AONDE QUANDO
Corrida 1 – Austrália Melbourne 15/Mar/2015
Corrida 2 – Malásia Kuala Lumpur 29/Mar/2015
Corrida 3 – China Shangai 12/Abr/2015
Corrida 4 – Bahrein Sakhir 19/Abr/2015
Corrida 5 – Espanha Catalunia 10/Mai/2015
Corrida 6 – Monaco Monte Carlo 24/Mai/2015
Corrida 7 – Canadá Montréal 07/Jun/2015
Corrida 8 – Austria Spielberg 21/Jun/2015
Corrida 9 – Reino Unido Silverstone 05/Jul/2015
Corrida 10 – Alemanha TBA 19/Jul/2015
Corrida 11 – Hungria Budapeste 26/Jul/2015
Corrida 12 – Belgica Spa-Francorchamps 23/Ago/2015
Corrida 13 – Itália Monza 06/Set/2015
Corrida 14 – Singapura Singapura 20/Set/2015
Corrida 15 – Japão Suzuka 27/Set/2015
Corrida 16 – Rússia Sochi 11/Out/2015
Corrida 17 – Estados Unidos Austin 25/Out/2015
Corrida 18 – México Cidade do México 01/Nov/2015
Corrida 19 – Brasil São Paulo 15/Nov/2015
Corrida 20 – Abu Dhabi Yas Marina 29/Nov/2015

Calendário: Formula E

formula-e-championship-logo_100430116_l

Confira abaixo a tabela com as datas dos E-pixes da Fórmula E:

AONDE QUANDO
Round 1 Pequim, China 13/set/2014
Round 2 Putrajaya, Malásia 22/nov/2014
Round 3 Punta Del Este, Uruguai 13/dez/2014
Round 4 Buenos Aires, Argentina 10/jan/2015
Round 5 Miami, Estados Unidos 14/mar/2015
Round 6 Long Beach, Estados Unidos 04/abr/2015
Round 7 Monte Carlo, Mônaco 09/mai/2015
Round 8 Berlin, Alemanha 30/mai/2015
Round 9 Londres, Inglaterra 27/jun/2015

Foto: Motor Authority

BAC Mono: Para as Pistas e Para as Ruas

Corrida ou Rua? Os dois!
Corrida ou Rua? Os dois!

O BAC Mono é o sonho de qualquer fã de automobilismo. Esqueça as Ferraris, Lamborghinis e até Porches (pelo menos por um momento): isso porque ele é um carro de rua, mas com um enorme pedigree das pistas, isso pra não falar que é um Formula 3 com faróis, para-choques e lanternas, homologado (na Inglaterra) para rodar entre os carros “mortais”. O principal objetivo para quem tem um carro destes é a pista: e poder ir e voltar sem se preocupar em como levar o bólido.

BAC significa Briggs Automotive Company, e é sediada em Liverpool, Inglaterra. A Companhia foi fundada em 2009 pelos irmãos Briggs, mirando consumidores entusiastas das pistas, com o objetivo de transmitir a eles a experiência pura de se pilotar um monoposto de corrida. O Mono começou a ser produzido em 2011, fruto da parceria de engenheiros de várias empresas, dentre elas, Crosworth, Hewland, Sachs, AP e Pneus Kumho.

O Mono possui um motor 2.3 litros Ford Duratec, 4 cilindros, da Crosworth e é capaz de produzir cerca de 285 hp. Ele é montado longitudinalmente na parte central traseira do carro, afim de melhorar a estabilidade e trazer seu equilíbrio mais perfeito ao carro. O BAC ainda possui uma transmissão de 6 velocidades sequencial de marchas, herdada da Fórmula 3 desenvolvida pela Hewland, podendo fazer as trocas em incríveis 35 milissegundos (0,035 segundos). Nessa especificação, o modelo é de tração traseira, pode ir de 0 a 100 km/h em apenas 2,8 segundos e tem uma velocidade máxima de 274 km/h. Não parece muita coisa, mas se for comparar, o Mono faz 0-100 km/h mais rápido que uma Ferrari 458 Itália (devido ao seu peso baixo, apenas 600 kg). A distribuição de peso tem como objetivo de manter o carro com um centro de gravidade baixo, seu sistema de suspensão foi feito exclusivamente pela Sachs para esse modelo, e são totalmente ajustáveis, como já nos conhecemos nos Fórmulas, por exemplo. E, para frear tudo isso, os freios a disco ventilado em todas as rodas. Seus pneus, também exclusivos, feitos para a rua, fabricados pela Kumho.

bac mono
Mono em seu “habitat” natural: a pista!

ABS? Controle de tração? Airbag? Esqueça isso!

Para dar um toque a mais na exclusividade, cada veículo ainda é construído de acordo com o tamanho de seu proprietário. Logo, tamanho do assento, o alcance do pedal, a posição do volante são todas modificadas para ficarem de acordo com as necessidades ergonômicas de seus proprietários.

E "disfarçado" entre os mortais
E “disfarçado” entre os mortais

E para que essa fera possa sair por aí em qualquer rua inglesa, foram adaptadas lanternas, lâmpadas de direcionamento, de ré, de posição e de freio. Isso sim è um verdadeiro carro de corrida!

Fotos: Wikipedia; AutoExpress; SuperVettura

Button: Mediano?

Jenson Button foi considerado um piloto mediano ao longo de sua carreira. Dentre muitos britânicos entusiastas, Button está mais para um Barrichello britânico do que um Senna, por exemplo. O vídeo abaixo mostra o GP do Canadá de 2011, ano em que Button ganhou o seu vice campeonato pela Mclaren. Chovia muito, a prova durou mais de 4 horas, Button levou 1 punição, parou 6 vezes nos boxes. Lutou até o fim e tirou do Vettel o 1º lugar, uma ótima lição, como diz no vídeo, desistir não é uma opção:

Fonte: Velocidade.org

Lucrando Com Pedágios

Toll road opens near Bath
Placa do pedágio. Fonte http://goo.gl/ZeL6vn

Esse não é um post falando sobre preços abusivos de pedágios em estradas privatizadas do Brasil, mas sim, um post falando sobre a oportunidade de negócios frente a acontecimentos. Um empresário britânico chamado Mike Watts construiu um pedágio “particular” para que carros passassem por um terreno particular afim que evitassem um desvio de estrada de 22km causados por um desmoronamento de terra.

Tudo começou em Fevereiro, quando um deslizamento de terra forçou autoridades a fechar a estrada A431 entre as cidades de Bath e Bristol, no Reino Unido. Watts viu essa má notícia como uma oportunidade de negócio. Construiu seu próprio “desvio” que passa por um campo particular, tem 365 metro de comprimento e 7 metros de largura, o que permite tráfego pelos 2 sentidos da via. Para passar, o pedágio custa cerca de 2 libras para automóveis (equivalente a R$ 7,55) e 1 libra para motocicletas (equivalente a R$ 3,77). Existe ainda um preço voltado para pessoas que utilizarão frequentemente o pedágio, aonde se compra 12 passes pelo preço de 10.

Mike diz que gastou cerca de 150 mil libras para construir e deixar o local viável para o trânsito e prevê gastar outros 150 mil libras para manutenção. Num total de investimento de 300 mil libras, Mike espera ter seu investimento de volta baseado no montante de carros que passam diariamente pela estrada, e tem até dezembro desse ano que é o mês previsto para a reabertura da estrada para que isso aconteça.

Achei estranho o fato que, baseado na foto divulgada pelo Daily Mail, pedestres e ciclistas não são autorizados a utilizar o novo desvio. E você, o que acha desse tipo de negócio? Muito arriscado? São pessoas se aproveitando de desgraças da natureza, ou apenas uma oportunidade bem aproveitada? Deixe seu comentário!

Fonte: Daily Mail